Apartamentos Neoclássico em Navegantes SC

ESTILO NEOCLÁSSICO

Navegantes que antigamente era somente uma vila de pescadores cresceu, e a cada ano que passa, tem mostrado que tem um grande potencial em várias áreas, principalmente na área imobiliária que cresce em todo país, aqui uma área litorânea com 12km de Orla, não podia deixar de ser diferente.

A cidade passou a ter apartamentos mais elaborados. Que vão desde uma arquitetura moderna ao marcante estilo neoclássico.

Este estilo de construção, segue a linha dos templos também ao estilo greco-romano, tanto para construções civis ou com intuito religioso.

Claramente distinto dos demais não tem como negar que tem seu charme e beleza.

Assim, no ano de 2019, estamos com 4 empreendimentos sendo construídos na cidade, e quem devem ficar prontos dentro de 2 anos.

Na praia do Gravatá, temos o residencial Argon (imóvel da imagem inicial), da Construtora Atlântico Sul – CAS, empreendimento frente mar, e formado por duas torres, sendo uma frontal menor e outra em seguida mais alta, permitindo que quase todos os apartamentos tenham uma boa vista mar.

É aqui no Gravatá também que a Construtora Inbrasul, vai nos entregar o Ocean Towers, com as Torres Pacific e Atlantic, empreendimento também composto por duas torres, em sendo um dos maiores, se não for o maior empreendimento de Navegantes, ligando duas das principais avenidas da cidade, a Av Prefeito Cirino Adolfo Cabral e a Av Prefeito José Juvenal Mafra. Este também foi projetado de forma que boa parte dos apartamentos tenham uma vista mar.

Ainda no mesmo bairro, já temos em construção o Turmaline Tower, da construtora Inbrasul, empreendimento localizado frente mar com visíveis linhas do estilo neoclássico, aonde neste se vê pela imagens digitais que vão ser instalados, os rebuscados guarda-corpos em ferro fundido nas partes de sacada, que fazem uma grande diferença no detalhamento final do empreendimento.

Ocean Towers

No Centro de Navegantes, também ficando localizado na Av Prefeito Cirino Adolfo Cabral, mais especificamente no bairro Pontal, bairro que fica próximo ao mole que da acesso ao calado do porto, temos em construção mais um empreendimento da Inbrasul, chamado Diamond Tower.

A construtora Inbrasul que tem seu renome devido aos acabamentos que entrega em suas áreas de comuns e de lazer de seus empreendimentos, coloca que este empreendimento como seu próprio nome diz vai ser uma jóia, sendo mais luxuoso e requintado que os demais que já foram entregues.

Imagem Digital – Hall de entrada do Diamond Tower

Quer saber mais sobre esses empreendimentos, é só clicar no botão abaixo.

Precisando alguma informação sobre Navegantes ou imóveis é só nos procurar.

http://www.manicamarin.com.br

Youtube – https://www.youtube.com/channel/UChXN5NNFH7Tpalw1hezT3-A

47 98435 5444

5 dicas para reforma de cozinhas pequenas

A cozinha é um lugar muito importante na casa não é mesmo? Por isso merece uma atenção especial.

É ali que passamos a maior parte do tempo quando recebemos amigos para um bate papo informal, é pra lá que vamos todas as manhãs em busca de um café da manhã reforçado antes de um dia puxado no trabalho. Além disso a cozinha é um dos espaços onde temos mais coisas guardadas: panelas, utensílios, louças, talheres, comida, etc. Por isso, é importante utilizar bem o espaço.

Mas quando o assunto é reforma, isso causa uma certa dor de cabeça, não é mesmo? Porém ao escolher bons profissionais, esta tarefa se torna um pouco menos estressante.

Se você quer realizar uma reforma e sua cozinha é pequena, isto não deve ser um problema, quando é bem planejado. Por isso, separamos 5 dicas para que você consiga aproveitar bem cada espaço deste cômodo

1 – Derrube as paredes

Calma! não se assuste! Muitas vezes, a amplitude é muito mais uma sensação do que uma correspondência direta com a metragem quadrada do espaço. Uma cozinha interligada à sala, se transforma em um cômodo amplo e cheio de possibilidades.

Por isso, não pense duas vezes: se tiver uma cozinha pequena em casa, elimine todas as divisórias e barreiras visuais que fazem com que a sensação do espaço seja ainda menor.

2 – Preste atenção nas medidas

Um espaço limitado exige planejamento e o investimento em móveis sob medida. Essa é a melhor estratégia para garantir que todos os centímetros da sua cozinha sejam bem aproveitados, ganhando assim utilidade.

Dessa forma, você encontrará diferentes possibilidades para guardar todos os seus utensílios. Prateleiras, armários de canto e outros móveis planejados especificamente para a cozinha são de grande ajuda para quem precisa otimizar cada pedacinho.

3 – Seja criativo

Outra dica de reforma para cozinhas pequenas é ter um pensamento fora da caixa e até mesmo algumas soluções inesperadas. Uma mesa retrátil, por exemplo, que serve para um lanche rápido, mas que quando não está sendo usada pode voltar para dentro do armário e não ocupar 

4 – Invista em tons claros

Tons claros criam a ideia de maior amplitude, leveza e respiro aos ambientes. Por isso, um ambiente mais limpo é uma ótima saída para as situações em que o espaço é limitado. Mas, claro, não precisa ficar tudo sem graça e apagado: é possível equilibrar os tons mais neutros com uma ou outra cor viva em alguns detalhes, trazendo alegria para a cozinha. Pense, por exemplo, em um painel de azulejos bem colorido contrastando com o restante dos móveis super discretos.

5 – Aproveite suas paredes

É comum sub aproveitarmos as paredes da cozinha, colocando armários em uma altura inadequada (e perdendo um espaço super útil tanto embaixo quanto em cima dos armários), ou pendurando uma série de quadros e outros objetos decorativos e esquecendo de reservar espaço para objetos de uso diário, como a secadora de louças, uma adega suspensa e um monte de outras ideias que podem fazer toda a diferença. Com o planejamento adequado, você consegue aproveitar até mesmo as paredes da sua cozinha.

Confira estas inspirações de reformas:

Gostou das nossas dicas para reforma para cozinhas pequenas? Se já tiver feito alguma reforma dessas,compartilhe com a gente as suas dicas!

Os 5 principais erros ao comprar um imóvel

A compra de um imóvel é um momento importante na vida de qualquer pessoa, independentemente de suas condições financeiras.

Seja para realizar o desejo de adquirir um bem, seja para fazer um investimento seguro, essa é uma negociação que deve ser analisada com cuidado para que não haja prejuízos ou arrependimentos futuros. Por isso, conhecer os principais erros na compra de imóveis é essencial para que você possa evitá-los.

Muitas vezes, essa é uma tomada de decisão que leva em conta a emoção. Mas esse é um erro comum, pois é preciso ter atenção a questões muito práticas antes de assinar qualquer contrato. Passam por essa resolução questões como localização, custo-benefício, avaliação minuciosa da documentação do imóvel e da idoneidade de quem o está vendendo, por exemplo.

Para ajudar você a entender melhor a quais detalhes deve prestar atenção ao comprar um imóvel, elaboramos uma lista com 5 itens que devem ser levados em consideração na compra do imóvel. Confira:

1. Escolher um imóvel somente pelo preço

Sabemos que esse é um dos fatores primordiais na hora de escolher um imóvel para aquisição. Mas ele não deve ser o único a ser considerado no momento da compra.

Quem olha apenas para o preço pode deixar passar detalhes importantes, como a escolha do bairro (se há problemas de mobilidade ou de violência ou se é uma região em desenvolvimento, por exemplo). É preciso escolher também o tipo de imóvel ideal para sua família, afinal o imóvel deve ser de fácil utilização no dia a dia. Também é preciso verificar se o valor é mais baixo por conta de outras despesas que devem ser pagas e que podem ser muito altas, como a taxa de condomínio e o IPTU. 

Além disso, é necessário que tenha cautela, sabendo qual a construtora responsável pelo empreendimento, procure informações em sites de reclamação da internet e referências. Afinal preços abaixo do mercado, devem ser investigados. 

2. Não pesquisar bem antes de comprar o imóvel

É comum, quando começamos a buscar um imóvel para aquisição, nos apaixonarmos por um dos primeiros que vimos na relação apresentada pelo corretor. Esse é um momento que, geralmente, envolve muita felicidade e, por isso, acabamos não enxergando que o mercado apresenta inúmeras possibilidades. A dica de ouro é não ter pressa!

Visite muitos lugares antes de fazer a sua escolha e mais: quando tiver umas ou mais opções que considera próximas ao que você deseja, faça visitas em horários diferentes. É dessa forma que conseguimos avaliar como é a incidência de sol, ventilação e luminosidade, por exemplo. Também é um jeito de conhecer melhor as redondezas.

3. Não levar a localização em conta na hora da compra

Muitas vezes, o imóvel tem um bom preço e ótimas acomodações, mas fica localizado em uma região em que não há infraestrutura, há poucas opções de mobilidade urbana ou lugares onde há muitos registros de violência. Também é preciso avaliar a relação custo-benefício nesse caso: se for muito longe de onde você e sua família trabalham e estudam,.Uma boa conversa com vizinhos ajuda a conhecer melhor o bairro e suas características. Você deve saber se há riscos de enchentes ou inundações, se há comércio, transporte coletivo e outros serviços disponíveis próximos ao empreendimento, entre outras informações importantes.

Lembre-se de que uma compra feita por impulso, sem a avaliação adequada dessas questões que envolvem a localização, pode resultar em problemas no futuro  tanto financeiros quanto de qualidade de vida para você e sua família.

4. Não avaliar o custo do imóvel corretamente

Ao avaliar o custo de um imóvel, você não pode se esquecer de que essa não será sua única despesa .Você deve considerar o pagamento de taxas, impostos e despesas extras, como o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), que incide sobre os imóveis já construídos, o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), taxas de condomínio, registro e escritura do imóvel, entre outros.

Se usar um financiamento para a aquisição, o cuidado deve ser ainda maior. Ao cálculo que mencionamos, você deve somar os juros e valor das parcelas. Tudo isso tem grande influência no valor final que você vai desembolsar com a compra.

É preciso que você faça um planejamento minucioso e descubra exatamente de quanto dispõe para essa aquisição. Calcular quanto há para entrada, caso vá financiar, qual o limite do valor de parcelas que se enquadra no orçamento mensal, somar esse custo às demais taxas.

5. Não ter atenção ao contrato

Aqui, você já está na fase final da compra, ou seja, já passou por todas as etapas anteriores e está prestes a assinar o contrato.

Saiba que todas as cláusulas devem ser lidas e avaliadas cuidadosamente para que não haja surpresas após o fechamento da negociação. Se tiver algo que você não concorda, vale a pena rever o contrato.

Entre aqueles que mais merecem atenção estão os itens que se referem à possibilidade de rescisão de contrato e pagamento de multas. O mais recomendado é que um advogado possa verificar se o contrato está de acordo com o que foi combinado entre você e o vendedor.

Agora que você já conhece os principais erros na compra de imóveis, pode se sentir mais seguro para procurar a sua próxima residência. Procure uma imobiliária ou uma construtora de sua confiança para escolher o seu imóvel, a Manica Marin pode te ajudar a escolher o imóvel dos seus sonhos na região de Navegantes, Itajaí ou Balneário Camboriú.

Quais as Vantagens de comprar um imóvel na planta

O sonho da casa própria é comum para grande parte dos brasileiros. Para que esse desejo seja concretizado, boa parte das pessoas opta pela compra do imóvel na planta. A alternativa pode ser bastante tentadora devido ao preço do imóvel ser mais acessível e facilidade de negociação do imóvel na planta, porém é preciso ficar atento às eventuais armadilhas deste tipo de negócio. Por isso a importância de pesquisar o histórico da construtora com quem se está trabalhando.

Para que você possa entender um pouco mais sobre as vantagens de comprar uma imóvel na planta, separamos 5 tópicos que podem te ajudar na hora da compra. Confira:

1.Preço mais acessível

Uma das maiores vantagens de comprar um imóvel ainda em construção é que seus custos são menores do que os daqueles que já estão prontos. Isso torna o preço do apartamento mais acessível, sendo ideal para famílias que querem economizar, sem perder a qualidade do imóvel.

2.Valorização imobiliária

Se, na hora da compra, o preço é menor, depois de pronto, o apartamento retoma sua valorização no mercado imobiliário. Isso acontece porque as imprevisibilidades que podem acontecer durante a construção são sanadas assim que a obra é finalizada. Consequentemente, o apartamento se valoriza.

3. Infraestrutura moderna

Um imóvel na planta tem instalações mais modernas e em melhores condições. Não apenas a infraestrutura interna do apartamento, mas todo o prédio contará com redes elétrica e hidráulica novas, materiais de última linha e um bom acabamento. Isso evita preocupações com infiltrações, rachaduras, elevadores com defeito, portões velhos e demais problemas de manutenção.

4. Facilidades no pagamento

Outra vantagem de comprar um apartamento na planta são as facilidades no pagamento oferecidas pelas construtoras, sendo possível uma negociação flexível.

 Quem opta por fazer um financiamento, por exemplo, pode negociar o valor da entrada, dividindo o restante em parcelas até a finalização da obra, ou, ainda, pagar uma porcentagem maior na entrada para reduzir os juros e a quantidade das parcelas restantes.

5. Documentação em dia

Comprar na planta oferece, ainda, maior desburocratização na hora de fechar o negócio. Como, anteriormente, o empreendimento não contava com moradores, você não corre o risco de ter problemas com taxas e impostos não pagos, registros incompletos, documentação atrasada e outros inconvenientes.

Porém, além destas vantagens precisamos ficar atentos ao planejamento financeiro para a compra deste imóvel. É preciso analisar com cautela os custos e benefícios, a renda familiar, os riscos de perda de renda, instabilidades econômicas e ter um plano B. É indispensável possuir uma folga financeira para os momentos de aperto e lembrar que qualquer compra de imóvel é um negócio de longo prazo e que imprevistos podem acontecer. Nunca se deve assumir um negócio desse porte com o orçamento muito justo, pois as parcelas podem aumentar mais do que a família pode arcar. É desejável que a renda seja composta por mais de uma pessoa. Assim, no caso de ocorrer um contratempo, é possível contornar a situação.

E quais  são as obrigações da construtora nesta negociação?

Cumprir o contrato nos exatos termos em que foi firmado, como, por exemplo, qualidade da construção, prazo, atendimento eficaz, garantias legais, documentação regularizada, além de lealdade durante toda a construção e de informações corretas e precisas no momento da venda.

Quais os direitos e obrigações do inquilino?

Num contrato de aluguel, é importante ficar atento a todos os pontos, desde pagamentos, taxas, vistoria, prazos, entre outros. Um dos aspectos mais importantes do contrato é verificar que tanto locatário como locador têm obrigações a cumprir.

Confira neste post os deveres e direitos do proprietário  que aluga o imóvel. Assim, você se prepara para fazer um contrato que seja justo para ambas as partes.

Quais os deveres do proprietário que aluga o imóvel?

A locação de um imóvel é um processo bem menos burocrático comparado ao da compra de uma casa ou apartamento, porém, para evitar transtornos e tornar a relação entre locador e locatário mais harmoniosa e pacífica é importante respeitar algumas regras.

Os contratos de aluguel têm leis específicas, que demandam muita atenção tanto do proprietário quanto do inquilino. Confira abaixo as principais atribuições de quem aluga um imóvel.

Entregar o imóvel em condições de uso

O proprietário tem obrigação de entregar o imóvel em condições de uso, ou seja,com elétrica, hidráulica, esgoto e telhado em ordem.

Ele deve ainda, após definir o acordo com o locatário de que o imóvel será alugado, entregar o local em boas condições de uso e conservação. Ele deve fornecer ao locatário descrição minuciosa do estado do imóvel, antes mesmo da locação.

Além disso, o locador não pode, por exemplo, entregar o imóvel em condições diferentes daquelas que foram visitadas pelos locatários no momento em que conheceram o imóvel.

Ao chegar em um novo imóvel, é recomendável que o locatário teste as tomadas, válvulas de descarga, fechaduras,torneiras, chuveiros, e se houver algum problema, deverá relatar urgente para a imobiliária.

Depois de recebido o imóvel, e aceita as condições da vistoria, as manutenções desses itens serão do locatário.

Garantir o uso tranquilo

No tempo de contrato o locador é responsável por manter o imóvel em forma e garantir boas condições para o locatário viver ali.

Além disso, o proprietário não pode recuperar seu imóvel a qualquer momento, devendo cumprir o período do contrato salvo em caso de causa justificada. Porém, quando o inquilino deixa de pagar o aluguel, o proprietário tem direito de iniciar uma ação de despejo que, geralmente, contempla 30 dias para saída voluntária.

Responder pelos defeitos que o imóvel apresentava antes de ser alugado

Esta é uma das principais responsabilidades do locador. Ele deve entregar o imóvel em bom estado ao inquilino, respondendo pelos vícios ou defeitos existentes antes da assinatura do contrato de locação.

Não é obrigatório, porém é bastante aconselhável registrar a situação do imóvel por fotografias e fazer uma descrição do estado da propriedade.

No caso de cupins, por exemplo, quando a infestação começa após a locação, o inquilino deve contratar e pagar pela dedetização. Se o foco já existia antes do contrato, a responsabilidade é do dono.

Fornecer o recibo de todas as despesas que forem pagar pelo locatário

O locador deve fornecer recibo discriminado ao locatário (aluguel, condomínio, impostos, etc). Além disso, é obrigação do locador mostrar ao locatário, quando solicitado, os comprovantes relativos às parcelas cobradas.

Caso o locador se negar a dar o recibo, o inquilino não deverá realizar o pagamento. Ele deverá também dirigir-se à delegacia mais próxima e comunicar o fato ao delegado. A recusa do fornecimento de recibo é crime previsto na Lei do Inquilinato.

Pagar os impostos e taxas do imóvel, a menos que esteja descrito em contrato que o locatário será responsável por arcar com esses custos

Este é um daqueles casos em que saber o que significa a sigla dá a pista da resposta: IPTU significa Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana.

Como esse imposto se refere à “propriedade”, é lógico que seja pago pelo “dono” e é exatamente isso o que dizem a Constituição Federal e o Código Tributário Nacional.

Para que o inquilino pague o IPTU, isso deve estar claramente previsto em contrato. Se nada constar do contrato (ou, ainda, se o contrato for verbal e, portanto, não existe nenhuma previsão registrada), o proprietário pagará normalmente o imposto, não podendo cobrar o valor do locatário.

Contudo, mesmo que a obrigação de o locatário pagar o valor do imposto conste no contrato, o locador deve tomar o cuidado de ele mesmo pagar para a prefeitura (quitar o carnê) e, em seguida, cobrar do locatário.

Eventualmente chegarão multas, cobranças e qualquer outro tipo de notificação direcionada ao dono do imóvel. Ao receber este tipo de carta o morador deve avisar o proprietário com urgência máxima, com a finalidade de evitar que ele sofra conseqüências em virtude do atraso de pagamento, entre outras razões.

Pagar as despesas extras de condomínio

São de responsabilidade do inquilino todas as despesas de manutenção, como limpeza, conservação e pintura das instalações e dependências de uso comum.

Despesas extras de condomínio, como obras de reformas de melhorias ou que interessem à estrutura integral do imóvel, vão parar na conta do proprietário, assim como obras de manutenção no edifício, como pintura da fachada e esquadrias externas, compra e instalação de equipamentos em geral e decoração e paisagismo nas áreas comuns.

Por exemplo, caso a assembleia do condomínio decida reformar a fachada do prédio (com pintura, por exemplo), a conta vai pesar no bolso do proprietário. Se optar apenas por lavar a fachada, ou seja, fazer uma manutenção, o custo vai para o inquilino.

Saber os deveres do proprietário no aluguel é importante para ter uma estadia tranquila

A relação entre locador e locatário de imóvel pode ser muito boa e duradoura desde que cada uma das partes entenda e cumpra exatamente as respectivas obrigações. Parece óbvio, mas nem sempre é o que acontece.

Na hora de alugar um imóvel é importante estar atento em pequenos detalhes, conhecer o prédio, o bairro, a imobiliária, tirar todas as dúvidas com o corretor e ter certeza da importância do negócio que está sendo realizado, levando em consideração as regras impostas e as particularidades do contrato.

Casa, apartamento ou sobrado? Qual a melhor opção de compra na Praia?

Quando vamos compra um imóvel na praia, sempre bate aquela dúvida de qual é o melhor imóvel para adquirir naquela região. Podemos afirmar que depende de cada família e cada estilo de vida a resposta desta pergunta.

Hoje vamos listar aqui, os prós e contras de cada opção de imóvel. Para que você possa analisar qual a melhor opção para sua família.

Casa

Prós: 

Tem gente que gosta de casa e pronto! E sim casa tem suas vantagens como: Quintal, privacidade, facilidade na hora de chegar e sair de casa, espaço para criação de orta, opções de estacionamento para mais de um carro. E a possibilidade de ampliar a casa, caso tenha espaço no terreno para isso.

Contras:

Mas nem tudo são flores, tudo isso, tem um preço. A manutenção da casa fica toda a cargo do proprietário, e acredite, não sou poucas: Grama, jardim, pintura da fachada, telhado, muros, portão e por aí vai a lista. 

Além disso o quesito segurança também entra na lista dos contras, assaltos são mais frequentes em casas do que em apartamentos, mas podem ser evitados com a instalação de equipamentos de segurança como: Câmera, cerca elétricas e muros altos.

Apartamento:

Prós: 

Apartamentos tem muito mais segurança do que casa, possuem portas com senhas e portões eletrônicos. Outra vantagem é a comodidade, a limpeza e manutenção do imóvel é feita somente da porta para dentro. Quando é necessários reparos e consertos externos, o custo é rateado entre todos os proprietários e o serviço fiscalizado pela administradora de condomínios. Então se o apartamento conta com um bom condomínio e síndico estabelecido, sempre estará bonito e conservado, sem muito esforço por parte dos proprietários. 

Contras:

É aqui que a conta pende pro lado: Quintal, privacidade, facilidade na hora de chegar e sair de casa, espaço para criação de orta, opções de estacionamento para mais de um carro. São itens mais difíceis de se conquistar. Geralmente as plantas de apartamentos são menores que as de casa. Mas se você conseguir planejar o imóvel acaba sobrando espaço para tudo.  

Sobrado:

Prós:

O sobrado tem quase os mesmos prós que a casa como: Quintal, privacidade, facilidade na hora de chegar e sair de casa, espaço para criação de orta, opções de estacionamento para mais de um carro. E o legal deste tipo de planta é que a parte social fica na parte debaixo e a parte íntima fica isolado em cima. O que acaba ajudando na organização do dia a dia.

Contras:

A manutenção do sobrado fica toda a cargo do proprietário: Grama, jardim, pintura da fachada, telhado, muros, portão e por aí vai a lista. 

Você terá as mesmas preocupações com segurança da casa, e as mesmas limitações de personalização do apartamento. Vendo por este lado, parece ser uma escolha ruim. Porém se você encontrar um condomínio de sobrados, as vantagens aumentam. Principalmente para quem tem crianças. É uma ótima opção do seu filho crescer solto, sem medo dos perigos da rua.

Claro que ainda possuem várias outros prós e contras entre estas opções de imóveis. Mas esperamos que este post te ajude a analisar qual a melhor opção para sua família ou investimento. Aqui na região do vale de Itajaí, qualquer opção aluga-se muito fácil.

Caso queira conversar mais sobre qual a melhor opção para sua família entre em contato conosco:

47 3349 0211/ 47 9 8435 5444

www.manicamarin.com.br 

Como fazer uma escritura de imóvel?

Você acabou de fechar o contrato de compra do seu primeiro imóvel e está animado com os próximos passos. No entanto, muitas dúvidas passam pela sua cabeça nesse momento, especialmente com relação à escritura do imóvel.

Esse documento é essencial para comprovar que você é o proprietário da residência e garantir que o imóvel está sendo transferido para o seu nome. Por isso, neste post vamos explicar os principais detalhes relativos à escritura.

Como registrar um imóvel?

Esse processo é realizado no Cartório de Registro de Imóveis, que contém o histórico de cada propriedade e pode informar, por meio da matrícula do bem, quais foram e são os proprietários, se há alguma restrição ou impedimentos que afetaria a transação de compra e venda.

O registro é formalizado pela escritura pública, feita no Cartório de Notas. É preciso apresentar os seguintes itens:

  • nome completo;
  • RG;
  • CPF;
  • estado civil;
  • profissão;
  • residência.

Se você for casado, é necessário mencionar os dados do cônjuge também, o regime de bens e a data do matrimônio ou união estável. O casamento em comunhão total de bens, separação total ou por aquestos, é importante citar o pacto antenupcial.

A escritura também deve mencionar a apresentação dos seguintes documentos:

  • matrícula do imóvel atualizada, certidão de ônus reais e ações do imóvel;
  • cartela do IPTU ou certidão de valor venal, emitidos pela Prefeitura;
  • negativa de débitos do IPTU;
  • guia de recolhimento do ITBI.

Outros documentos ou certidões podem ser solicitados.

Quanto é pago para registrar um imóvel?

A quantia varia conforme o município em que o imóvel está localizado. Geralmente, é definido um percentual que fica entre 2% e 3% do valor venal, ou seja, o preço estimado pelo governo de acordo com informações da Certidão de Dados Cadastrais do Imóvel, presente no Registro de Imóveis.

Isso significa que se a propriedade vale R$ 100 mil e a taxa é de 3%, o registro custa R$ 3 mil. No entanto, ainda pode haver variação dependendo das condições ou do preço do bem. Por isso, o ideal é consultar diretamente na Prefeitura.

Outra questão importante é que, na compra do primeiro imóvel, é possível ter um desconto de 50%. Para isso, é necessário que o bem seja exclusivamente residencial e financiado pelo Sistema Financeiro de Habitação. Você também não pode ter tido qualquer propriedade no seu nome, mesmo que devido à doação ou herança.

Qual é a periodicidade de pagamento da escritura do imóvel?

Esse documento é pago apenas uma vez, para fazer a transferência da propriedade. Depois disso não é preciso pagar a escritura ou o registro. O imposto relativo ao imóvel é o IPTU, que incide todos os anos. No entanto, pode haver cobrança nos atos jurídicos realizados.

Qual a diferença entre escritura do imóvel e registro?

O primeiro documento registra a transação de compra e venda e faz com que ele tenha fé pública. O registro, por sua vez, ocorre após a assinatura da escritura no Cartório de Registro de Imóveis. É nesse momento que ocorre a transferência de propriedade.

É possível tirar uma cópia do registro ou da escritura?

A segunda via pode ser conseguida no Cartório de Registro de Imóveis, conforme determinação da lei.

Como regularizar os documentos após o casamento?

A compra de um imóvel enquanto está solteiro exige que, após o casamento, o bem seja averbado. Para isso, é preciso apresentar um requerimento por escrito feito pela parte interessada e com firma reconhecida. Além disso, é necessário demonstrar a cópia da certidão de matrimônio.

Agora que você tirou suas dúvidas sobre a escritura do imóvel, que tal continuar por dentro de outras novidades sobre o mercado imobiliário e o litoral catarinense? Curta a nossa página no Facebook ou perfil no Instagram não perca nenhum conteúdo!

Como decorar sua casa de veraneio?

A praia é um lugar para relaxar e se divertir, o ponto aqui é buscar conforto, funcionalidade e beleza! Por isso vamos compartilhar com vocês algumas inspirações para a decoração da sua casa de Praia:  

Você conhece o estilo Náutico?

As cores são as protagonistas deste estilo são: Azul e branco, que compõe a decoração náutica, cria um ambiente alegre, fresco e tranquilo, que é o objetivo de um recanto praiano. O azul, assim como o verde, nos faz lembrar do mar, por isso, não tenha medo de usar essas cores. E para não errar, aposte nos tons suaves.

Use a Criatividade na hora de colocar o revestimento:

As cidades litorâneas são muito úmidas, por conta daquele mar enorme, logo ali em frente, então o revestimento cerâmico acaba sendo uma ótima opção para evitar problemas com mofo. Mas não precisa aplicar estes revestimentos de maneira normal, você pode soltar a criatividade e aplicar em vários ângulos diferentes formando vários desenhos.

Abuse de elementos naturais:

Uma outra dica é abusar dos elementos naturais, uma caminha na praia e você consegue encontrar vários elementos que podem ser usados como decoração na sua casa de veraneio na praia. E aqui vai uma dica complementar, crie estes objetos de decoração natural com a ajuda dos seus filhos, eles vão ficar super felizes em ter suas artes expostas na decoração.

Agora que já compartilhamos estas dicas maravilhosas de decoração com você, que tal continuar por dentro de outras novidades sobre o mercado imobiliário e o litoral catarinense? Curta a nossa página no Facebook ou perfil no Instagram não perca nenhum conteúdo!

Como comprar um imóvel com segurança?

Na hora de comprar um imóvel, sempre bate aquele receio de estar tudo certo com a papelada do imóvel, por isso separamos aqui uma lista de documentos necessários para uma compra segura de imóvel no estado de Santa Catarina.

1. Matrícula do Imóvel Atualizada

Primeiramente é preciso verificar se o imóvel pertence a quem se apresenta como dono, ou seja, que está sendo vendido pelo próprio proprietário ou por alguém autorizado por ele. Para tanto, solicitar a matrícula atualizada no Registro de Imóveis da circunscrição imobiliária competente é fundamental. Nela haverá o histórico e as informações básicas a respeito do imóvel, como metragem, localização, nome do atual e dos antigos proprietários, existência de ônus reais, dentre outras informações importantes.

No entanto, existem inúmeros imóveis irregulares no Brasil. Por este motivo, em algumas ocasiões o vendedor poderá ter outros tipos de documentos em mãos e será preciso analisá-los com mais cautela, afinal, “quem não registra não é dono”, certo?

1.1. Certidão de Propriedade em nome do vendedor:

Verifique os documentos que o vendedor possui para comprovar a sua propriedade. Estes documentos podem ser de diversos tipos, o mais comum é a escritura de Compra e Venda. 

2. Certidão de Ônus Reais:

Deverá ser solicitada no Registro de Imóveis e consiste na análise efetuada pelo próprio Registrador, cujo teor indicará se existe algum gravame, como por exemplo uma hipoteca ou direito real de terceiro;

3. Certidões da Situação Fiscal:

Estes documentos comprovam se os impostos foram pagos corretamente e se existe alguma dívida tributária referente ao imóvel;

4. Certidão Negativa de Utilidade Pública e Tombamento:

Servirá para descobrir se o imóvel em questão não foi tombado como patrimônio histórico, ambiental ou artístico, bem como se não foi declarado de interesse público ou social para fins de desapropriação. Isso acontece em locais históricos da cidade, se você pretende comprar um imóvel nesta região fique atento. 

5. Débitos de energia, água e gás:

Por fim, verificar se há pendências financeiras com as concessionárias de energia elétrica, água e gás.

Tendo tudo isso em mãos, você saberá tim tim por tim tim, todos os débitos e quitação do imóvel. E assim realizar uma compra tranquila.

Lembrando sempre, que comprando com uma imobiliária fica mais fácil este processo, uma vez que a empresa trabalha com este tipo de documentação diariamente, e aí fica tudo mais fácil! 

Correção de Parcelas de Imóveis vendidos ainda em Construção

Hoje vamos tratar sobre a correção que pode e é aplicada aos imóveis quando compramos um imóvel na planta, imóvel que ainda esta em construção.

O único Índice de correção legal possível de se aplicar em um imóvel em construção é o CUB que significa CUSTO UNITÁRIO BÁSICO.

Este índice tem uma variação mensal e cumulativa, e entre os meses de junho e julho temos o maior reajuste do ano, isto pelo fato de  que nesses meses ocorre a convenção coletiva de trabalho que reajusta o salário dos trabalhadores.

De que maneira que é aplicada esta correção?

Os valores fechados em contrato devem ser todos transformados em CUB, utilizando-se o índice do mês, desta maneira nos meses subsequentes fica mais fácil sua atualização, para isso, basta pegarmos o valor resultante da divisão entre o valor que tínhamos em contrato  dividido pelo índice do mês utilizado, e multiplicar pelo índice do mês que queremos saber o valor a ser pago.

Veja o exemplo à seguir:

-Vamos supor que foi feita a aquisição de um apartamento no mês de Agosto de 2014, assim logo abaixo vou incluir a tabela do CUB de 2014 no estado de SC;

2014-cub

Neste contrato ficou ajustado que iria ser pago uma parcela de R$1500,00 por mês.

Assim vamos transformar esta parcela de agosto de 2014 para o cub deste mês:

  • Parcela R$1500,00

CUB Ago/2014 – R$1411,72

1500/1411,72= 1,0625Cubs

  •                 um reforço anual de R$20.000,00;

20000/1411,72= 14,1671Cubs

  •                 e por último ficaria o saldo a ser financiado com o banco num total de R$150.000,00

150000/1411,72= 106,2533Cubs

Agora vamos ver quanto que ficaria o valor destes pagamentos para o pagamento em 2015.

2015 CUB.JPG

Suponhamos que teríamos que pagar uma parcela em Janeiro, um reforço Junho, e o pagamento final de financiamento junto ao banco em Dezembro deste ano, veja como seria o cálculo:

Parcela: 1,0625Cubs x R$1425,91 = R$1.515,02

Reforço: 14,1671Cubs x R$1510,35 = R$21.397,27

Saldo Financiamento: 106,2533Cubs x R$1552,90 = R$165.000,74

Assim, verifica-se que conforme falado acima o valor das correções é cumulativa mês a mês então toda parcela tem um valor diferente sempre subindo.

Era isso que tínhamos para falar sobre as correções ainda com o imóvel em construção, traremos outro dia como que normalmente são as correções após a entrega das chaves pois essas mudam e bastante.

Caso tenha ficado alguma dúvida deixe seu comentário abaixo, que assim que possível responderemos.

 

Manica Marin Imóveis   – 47 33490211/ 98435 5444

Atuamos na região do litoral Norte de Santa Catarina com os melhores imóveis em:

-Navegantes

-Itajaí

-Balneário Camboriú

————————————————————————–

Nosso Site: www.manicamarin.com.br

Facebook: www.facebook.com/manicamarinimoveis

Instagram: www.instagram.com/manicamarinimoveis

Twitter: www.twitter.com/negociodimoveis